TRUMBO
Ator de 'Breaking Bad' encarna vítima da caça às bruxas anticomunista
O filme "é uma história admonitória", disse Cranston em uma entrevista coletiva na capital britânica, onde o filme foi apresentado durante o Festival de Cinema de Londres
10/10/2015 - 06h39 | - Atualizado em 09/10/2015 - 15h43 France Presse
faleconoscorac@rac.com.br
O ator americano Bryan Cranston, famoso por seu papel na série de televisão "Braking Bad", apresentou nesta quinta-feira em Londres o filme "Trumbo", onde interpreta o escritor Dalton Trumbo, vítima da caça às bruxas anticomunista.
Trumbo, roteirista de "Spartacus" e "A Princesa e o Plebeu", autor do romance antibélico "Johnny Vai à Guerra" e membro durante alguns anos do Partido Comunista americano, passou quase um ano na prisão.
Além disso, foi incluído em uma lista negra que o impediu de trabalhar em Hollywood, resultado da busca paranoica do governo por espiões comunistas durante a década de 1950.
O filme "é uma história admonitória", disse Cranston em uma entrevista coletiva na capital britânica, onde o filme foi apresentado durante o Festival de Cinema de Londres (que vai durar de 7 a 8 de outubro).
"É uma mensagem que encontra ressonância internacional, cada vez que o governo se excede em seus poderes e a imprensa ameaça os direitos civis de um cidadão", afirmou o ator de 59 anos, mundialmente conhecido como Hal, o professor de química traficante de drogas de "Breaking Bad".
Frente a Trumbo, uma das dez figuras de Hollywood que se negou a colaborar com a "comissão de atividades antiamericanas" liderada pelo senador Joseph McCarthy, a temida cronista Hedda Hopper, interpretada pela atriz britânica Helen Mirren, coloca em prática sua "caça aos vermelhos".
Questionada sobre a reação que teria ante Hopper, Mirren respondeu: "teria ficado aterrorizada. Agora, muitos jornalistas me deixam assim. Nunca fui uma grande admiradora do jornalismo de celebridades".