LÚDICO

Cinco velhas brincadeiras para o Dia das Crianças

Que tal comemorar a data de uma forma lúdica, para mexer com a imaginação e gastar toda energia das crianças?
08/10/2015 | - Atualizado em 12/10/2015 - 12h09 Portal RAC
faleconoscorac@rac.com.br
Aproveitar a infância é direito de toda criança, então que tal sair da frente da TV e aproveitar as brincadeiras lúdicas? Olha só essas dicas
Amarelinha 
Foto: Istock.
Brincadeira também é chamada de maré, sapata, avião, academia, macaca
Brincadeira também é chamada de maré, sapata, avião, academia, macaca
Também é chamada de maré, sapata, avião, academia, macaca, entre outras, a amarelinha é uma brincadeira fácil e que envolve diversos aprendizados. Comece desenhando a amarelinha no chão com carvão ou giz de cera, numere as casas e colora o “céu”. A brincadeira consiste em jogar a pedrinha em um quadrado e pular até o céu, na ida sem pisar onde está a pedra e, na volta, parando com um pé só ao lado para pegá-la. Perde quem cai ou pisa na linha. Incentive a criança passar por todo trajeto e cada vez mais rápido! Essa atividade é ótima para desenvolver o equilíbrio e a coordenação motora.
Ciranda 
Foto: Reprodução Youtube.
A famosa dança infantil, de roda, conhecida em todo o Brasil, teve origem em Portugal, onde era uma dança de adultos
A famosa dança infantil, de roda, conhecida em todo o Brasil, teve origem em Portugal, onde era uma dança de adultos
A famosa dança infantil, de roda, conhecida em todo o Brasil, teve origem em Portugal, onde era uma dança de adultos. Semelhante a ela é o fandango, baile rural praticado até meados do século XX no interior do Rio de Janeiro (Parati) e São Paulo, em que homens e mulheres formam rodas concêntricas, homens por dentro e mulheres por fora. Os versos que abrem a ciranda infantil são conhecidíssimos ainda hoje: “Ciranda, cirandinha/ Vamos todos cirandar/ Vamos dar a meia volta/ Volta e meia vamos dar”. De resto, há variações regionais que a complementa, como “O anel que tu me deste/ Era vidro e se quebrou./ O amor que tu me tinhas/ Era pouco e se acabou”
Pular corda
Foto: Sergey Novikov/Istock.
'Um homem bateu em minha porta e eu abri. Senhoras e senhores ponham a mão no chão. Senhoras e senhores pulem num pé só. Senhoras e senhores deem uma rodadinha e vá pro olho da rua'
'Um homem bateu em minha porta e eu abri. Senhoras e senhores ponham a mão no chão. Senhoras e senhores pulem num pé só. Senhoras e senhores deem uma rodadinha e vá pro olho da rua'
Simples e eterna! Pular corda é uma brincadeira e um grande exercício. Você precisa apenas de uma corda e duas pessoas para girar ou um ponto de apoio. O divertido da corda para crianças pequenas é conseguir acertar o ritmo. Já para as maiores são as músicas. Uma das canções mais clássicas é “Um homem bateu em minha porta e eu abri. Senhoras e senhores ponham a mão no chão. Senhoras e senhores pulem num pé só. Senhoras e senhores deem uma rodadinha e vá pro olho da rua (quando a criança tem que sair da corda sem encostar nela)!”
Está quente, está frio
Foto: Istock.
Na brincadeira quem encontra o objeto é o encarregado de escondê-lo novamente
Na brincadeira quem encontra o objeto é o encarregado de escondê-lo novamente
Um participante esconde um objeto, enquanto os outros fecham os olhos. A voz de “pronto”, as crianças saem a procurar. O que escondeu o objeto vai alertando, conforme a distância que estiverem do esconderijo: está quente (quando próximo), está frio (quando distanciado) e está queimando (quando bem perto). Quem encontrar o objeto será o encarregado de escondê-lo na repetição da brincadeira.
Passa Anel 
Descobrir com quem está o anel é o grande desafio da brincadeira
As crianças são colocadas em roda e uma delas segura um anel nas mãos. As mãos estão fechadas em forma de concha, de modo que as outras não possam ver o anel, nem quando e para quem este será passado. Ganha quem descobrir “com que está o anel”.