DORES NAS COSTAS

Postura errada pode antecipar doenças na coluna em jovens

Ritmo de vida moderna e descuido com a postura são gatilhos para dores nas costas
08/06/2015 | - Atualizado em 08/06/2015 - 11h55 Portal RAC
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Divulgação
Postura errada na frente do computador afeta diretamente a coluna
Postura errada na frente do computador afeta diretamente a coluna
Segundo o ortopedista Dr. Wilson Dratcu, o estilo de vida moderno pode ser um gatilho para doenças da coluna. Um dia você sente uma dorzinha nas costas e não dá muita importância. Depois de um tempo - que muitas vezes nem é tão longo assim - ela volta. Os dias passam e a vida continua. A correria do dia a dia te impede de ir ao médico verificar o motivo da dor. Deve ser má postura, você pensa. Até que o incômodo se torna constante. Sem notar, você desenvolve um problema de coluna. Está dada a largada para uma das maiores causas de afastamento do trabalho, segundo o IBGE. Dores nas costas não atingem somente idosos, jovens também sofrem com o problema.

Longas horas na frente do computador ou teclando no celular, falta de atividades físicas, obesidade, descuido no jeito de sentar na cadeira, no sofá, de abaixar para pegar coisas, de dormir. Tudo isso junto é uma agressão à coluna. Mas afinal de contas o que é pior: a falta de movimento ou a postura incorreta? "As duas coisas. O sedentarismo, consequência da vida urbana moderna interfere no metabolismo do disco invertebral, que precisa de movimento para manter o equilíbrio vital das células", explica o médico. Já no caso da postura incorreta o que ocorre é uma sobrecarga das estruturas vertebrais, o que provoca dores, e ao longo do tempo determina retrações musculares e posturas viciosas.

Em longo prazo, o descuido pode ser decisivo no futuro do jovem. "Além de facilitar o aparecimento de deformidades pela sobrecarga que causa nas estruturas vertebrais, os vícios posturais podem antecipar lesões discais e até artrose da coluna num prazo mais distante", afirma. Aquela dorzinha no pescoço, por exemplo, pode indicar problemas na coluna. Mas também pode ser apenas uma tensão, um sinal de distúrbios na tireoide, na ATM (que liga o maxilar ao crânio), entre outros.
O médico explica que o diagnóstico pode ser difícil. "Nem toda dor lombar ou cervical é consequência de problemas na coluna", diz. Segundo ele, problemas abdominais como cálculo renal ou na vesícula e até dores ginecológicas podem provocar dores na região. "Por isso uma avaliação médica tem que compreender a investigação da história das dores e um bom exame clínico, complementado pelos exames de imagens, quando necessário", detalha.

Além de difíceis de diagnosticar, tais dores podem ser complicadas de tratar por vários motivos: muitas vezes geram ansiedade e expectativas no paciente - o que dificulta o tratamento - e podem exigir afastamento do trabalho e repouso, algumas vezes, por períodos longos. "Além disso, nem todos os pacientes podem tomar qualquer medicamento", explica Dratcu.

Segundo o especialista, homens e mulheres podem apresentar problemas diferentes. "No caso dos homens, é mais comum que eles exercitem atividades braçais e desenvolvam problemas como hérnia de disco; já as mulheres, por sua maior longevidade e pelos esforços feitos nas atividades domésticas, podem desenvolver dores relacionadas ao envelhecimento, como a osteoporose".

No caso dos jovens, o mais importante é que eles pratiquem exercícios físicos, alonguem os músculos ao fazer uma mesma atividade por muito tempo e corrijam a má postura, antes que ela vire um vício. Atualmente, a dor na coluna é a terceira causa de aposentadoria e a segunda de licença ao trabalho no Brasil, de acordo com o IBGE. Você que sente hoje aquela dorzinha nas costas, cuide-se agora para não entrar em uma dessas estatísticas negativas no futuro.

Veja também