AUTOTERAPIA

Como encontrar forças para superar a depressão

Psicóloga lista 10 dicas que vão te ajudar a recompor seu equilíbrio mente e corpo
27/05/2015 | - Atualizado em 28/05/2015 - 09h34 Mariane Montedori
mariane.montedori@rac.com.br
Foto: Divulgação
A depressão é um distúrbio afetivo humano. No sentido patológico, há presença de tristeza, pessimismo e baixa autoestima
A depressão é um distúrbio afetivo humano. No sentido patológico, há presença de tristeza, pessimismo e baixa autoestima
O tempo passa, a medicina evolui, ciências como a psicanálise estão cada vez mais em evidência. E ainda assim, parece que a mente humana não se abre completamente, e enxerga por meio de uma máscara, que delimita o olhar. Essa é a minha impressão quando converso em alguns grupos sobre depressão. Alguns encaram como estado de espírito, outros chegam a usar a palavra 'preguiça'. O fato é que a depressão é uma doença causada pelos sintomas mais diferentes possíveis, mas que pode resultar no pior dos laudos médicos: a constatação da morte. 

Você também poderá se interessar por:
- 07 atitudes que esgotam sua energia
- Os benefícios da espiritualidade para o bem-estar

Quando falamos em depressão, temos que ter em mente dois aspectos: o ser humano é constituído pela pulsão de vida e pela pulsão de morte. Para podermos simplificar, basta por enquanto ressaltar que a pulsão é onde depositamos nossa libido, nosso prazer. Assim, podemos entender como pulsão de morte, tamanho estado depressivo onde a morte seria nosso maior prazer.  Embora pareçam concepções opostas, a pulsão de vida e a pulsão de morte estão conectadas, fundidas e onde há pulsão de vida, encontramos, também, a pulsão de morte. A conexão só seria acabada com a morte física do sujeito.

Podemos constatar o enlaçamento entre as pulsões na dinâmica da neurose da angústia. A pulsão de morte no sujeito será a responsável pela elevação da tensão ou excitação libidinal que será escoada pela pulsão de vida que levará o indivíduo, impulsionado pelo princípio do prazer, a procurar objetos que venham minimizar os impactos da angústia. Mas afinal: pra que tudo isso?

Você também poderá se interessar por:
- 5 reações que seu corpo sofre depois de levar um fora
- Complexo de Inferioridade: entenda o que é e saiba como se livrar dele

O primeiro passo para nos curarmos de uma doença não é justamente identificá-la e então, passar a agir com o tratamento adequado a ela? Uma vez que o indivíduo sabe que têm depressão, ou mesmo que está depressivo com alguém por qualquer que seja o motivo, só então é possível reverter o quadro e tomar atitudes par direcionar nossa líbido para outra coisa. 

Mas no que consiste a depressão?

Para a psicóloga Tandara Montedori, a depressão se caracteriza como uma doença psicológica, que causa variações de humor e perda de prazer nas atividades cotidianas que antes eram prazerosas ou motivadoras. As causas podem ser as mais diversas e vão desde um fim de relacionamento, até reações a uma doença física ou problemas no trabalho, obesidade, problemas com álcool e drogas. Por isso, a psicóloga Tandara listou alguns exercícios que vão te auxiliar a encontrar forças para seguir em frente e superar esse momento difícil. Olha Só: 

Maneiras de superar a depressão:

1. Seja útil 
Não há nada mais prazeroso do que doar-e à alguém, não é mesmo? Ainda que em pequenos gestos, o fato de ser útil colabora para a nossa sensação de bem-estar.

Foto: Divulgação.
Ajudar o próximo é ajudar a si mesmo
Ajudar o próximo é ajudar a si mesmo
2. Mude a sua maneira de como encarar a vida
Porque o tempo está aí para provar que tudo tem o momento certo de acontecer. E que passa. Independente do que seja, passa. 

3. Exercite a mente
Desfoque-se do seu problema. Busque aprender coisas novas e descubra novos prazeres.

4. Pratique atividades físicas
Porque não só de mente constitui-se o corpo humano. 

Você também poderá se interessar por:
- Benefícios da medicina chinesa para uma vida equilibrada
- 7 Filmes que todo psicanalista e amantes do inconsciente deveriam ver

5. Compartilhe seu problema
Psicólogos estão aí pra isso. E sempre existem os psicanalistas e o psiquiatra. Mas amigos, familiares e a fé que deposita em um ser supremo, sempre estarão ao seu dispor. 

6. Busca algo que lhe de prazer em realizar
É a mesma sensação de ajudar o próximo, sabe? Mas aqui, quem recebe a ajuda é você. Gosta de tocar? Toque. Gosta de cozinhar? Cozinhe! Ainda que a vontade pareça ter desaparecido, faça. 

7. Controle seus pensamentos
Pensar na morte da bezerra só vai atrair sensações negativas. Modere seus pensamentos. Seja dono de si mesmo. Reconstrua-se de pensamentos bons e atraia sensações boas. O presente é sua esperança de futuro. Não desperdice-o lembrando de coisas ruins que já passaram. 

Você também poderá se interessar por:
- 08 remédios que parecem inofensivos mas não são
- Seis conselhos budistas para uma vida equilibrada e feliz

8. Tenha uma alimentação saudável, busque cuidar de si, como um conjunto corpo alma e mente
Faça de si a morada do equilíbrio. 

Um sorriso é essencial para a convivência humana, ele é o melhor exemplo de interação entre as pessoas9. Sorria
Parece piada, mas umas boas gargalhadas diante de situações que causam dor, amenizam o desconforto. Isso porque a cada sorriso o cérebro é induzido a produzir e liberar mais endorfina, o neurotransmissor relacionado às sensações de prazer e bem-estar, além de ser um potente analgésico natural.

10. Busque ajuda
A essa altura, você já deve ter considerado procurar um auxílio profissional mas talvez tenha se deparado com o pensamento: 'Mas por que?' Ou 'Quando devo procurar ajuda'? A resposta é clara: não há um momento certo. Isso porque simplesmente não tem uma regra. Está dentro de você. A ajuda do psicólogo deve ser buscada nos momentos em que o paciente realmente a deseje, considerando que todos nós precisamos do olhar do outro para nos conhecer e nos desenvolver.


Clique e veja a página da Psicóloga Tandara Montedori

Veja também