ALTERNATIVA

10 Coisas que você precisa saber sobre o coletor menstrual

Econômico, seguro e sustentável: tudo que você precisa saber sobre o coletor menstrual
12/05/2015 | - Atualizado em 12/05/2015 - 10h23 Portal RAC
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Divulgação
Ao contrário do que parece, é a parte maior que deve ser ajustada no interior da vagina
Ao contrário do que parece, é a parte maior que deve ser ajustada no interior da vagina
A gente sabe o caos que é quando chega a menstruação. Acaba praia, piscina, sol. Não é todo mundo que usa absorventes internos. Logo, a maioria das mulheres tem que calcular seu ciclo para se programar socialmente. Uma alternativa, é o chamado coletor menstrual. Uma espécie de cone que inserimos no interior da vagina. Mais sustentável, ele pode ser removido e lavado, para usar posteriormente. Por isso, separamos algumas informações que você deve levar em consideração antes de optar pelo uso. Olha Só:

1. O que é?
É um copinho de silicone ou plástico que é utilizado para coletar o sangue menstrual. Há diferentes tamanhos, cores e marcas.

Você também poderá se interessar por:
- 5 dicas para não cometer suicídio na TPM
- TPM: O antes, durante e depois da menstruação

2. Quanto custa?
Em média um coletor menstrual custa de R$65 a R$85 dependendo de marca, tamanho e taxas de importação. O preço do coletor no Brasil varia entre R$ 60 e R$ 90 reais e pode durar por até 10 anos, mas por questões de higiene, especialistas recomendam que sejam trocados a cada três anos. Isso porque como ele não pode ser esterilizado, podem sobrar micropigmentos. De qualquer forma, economia. 

3. Tem diferença de tamanhos?
Sim. Porém, cada marca tem suas especificações e tamanhos. O mais comum é encontrar 2 tamanhos, o menor para mulheres que não tiveram filhos e o maior para mulheres que já tiveram filhos. Outras marcas tem 3 tamanhos e copos menstruais com diferentes medidas. Vale a pena pesquisar no site da marca o que melhor se adapta a você.

Você também poderá se interessar por:
- Menstruação marrom, como borra de café: o que é?
- Suspender a menstruação: descubra se faz bem ou mal à saúde

4. Existe há muito tempo?
Os coletores menstruais já existiam nos anos 1950, mas não ficaram tão populares na época por serem feitos de plástico, o que os tornava desconfortáveis. Os atuais são feitos de silicone, material maleável e mais confortável.

5. É comum dar alergia?
Ao contrário do que se imagina, é muito mais fácil adquirir alergia de um absorvente do que de um coletor. É uma excelente opção para quem sofre com alergias, por respeitar a ecologia natural da vagina.

Você também poderá se interessar por:
- Enxaqueca e Ciclo Menstrual: Qual é a relação?
- Você sabia que cólica menstrual pode trazer riscos à saúde?

6. Ecológico  
O plástico, presente tanto no absorvente descartável quanto no coletor, que é feito de silicone, leva em média 100 anos para se decompor. A vantagem do coletor é que ele é reutilizável, o que diminui consideravelmente o volume de resíduos sólidos descartados no meio ambiente, enquanto o absorvente comum, além de ser descartável, muitas vezes é embalado individualmente.

7. Mantém a ecologia natural da vagina
Ele não interfere na umidade vaginal, mantendo o equilíbrio e dificultando a contaminação por bactérias.
8. É mais confortável, permite praticar atividades físicas e até nadar sem incômodos. 

9. A melhor de todas: não vaza
Como o formato do produto se aplica perfeitamente no interior da vagina, o vazamento é quase nulo. Se vazar é porque foi mal colocado ou já havia algum resíduo antes da aplicação.

Você também poderá se interessar por:
- Menopausa: descubra quais os sintomas
- 08 remédios que parecem inofensivos mas não são
10. Atenção: não deve ser usado em mulheres virgens
O motivo é um só: corre-se o risco de rompimento do hímen. E não queremos que você perca sua virgindade com um coletor, não é mesmo?