CULTURA
Lendas amazônicas ocupam o palco do Teatro São Pedro
'Poranduba' ganha nova produção a partir desta quarta-feira, 22, no Teatro São Pedro em São Paulo
22/04/2015 - 10h39 | - Atualizado em 22/04/2015 - 10h51 Agência Estado
faleconoscorac@rac.com.br
Lendas amazônicas ocupam o palco do Teatro São Pedro
Especialista em literatura infantojuvenil, a professora e escritora Lúcia Pimental Góes reuniu ao longo de sua carreira contos e histórias da mitologia indígena. E, em 1995, teve uma ideia: a partir deles, escrever o libreto de uma ópera.

Com o texto em mãos, procurou o compositor Edmundo Villani-Côrtes. "Compor uma ópera parecia algo improvável. Seria um trabalho danado e qual a chance de vê-la sobre o palco?", pensou ele. Mas a oportunidade de "celebrar a cultura nacional" falou mais forte.

E assim nascia Poranduba, que ganha nova produção a partir desta quarta-feira, 22, no Teatro São Pedro.

A obra estreou doze anos depois do início da composição, em 2007 no Festival Amazonas, em Manaus. O texto reúne diversas lendas amazônicas que possuem, no entanto, um elemento em comum: o fogo.

Poranduba, o narrador, será vivido por Leonardo Neiva, que encabeça um elenco formado ainda pela soprano Gabriella Pace, a mezzo-soprano Celine Imbert, o tenor Eric Herrero e o barítono Eduardo Amir, além de dois membros da Academia do Teatro São Pedro: a soprano Roseane Soares e o barítono Eduardo Fujita.

"Villani-Côrtes trabalha com diferentes linguagens, flerta com a música popular, a música folclórica, escreve árias que lembram modinhas. E, ao mesmo tempo, evoca a tradição italiana, escrevendo um papel para coloratura, por exemplo. Tudo, porém, é muito bem escrito, em uma linguagem bastante pessoal", acredita o maestro André dos Santos, que assina a direção musical do espetáculo.

Já a direção cênica de Poranduba fica a cargo de Caio Zaccariotto Ferreira e de Roberto Rebaudengo.

PORANDUBA

Teatro São Pedro. R. Albuquerque Lins, 207, 3661-6600. Hoje, 6ª e dias 29/4 e 1º/5, 20h; dom. e 3/5, 17h. R$ 20/ R$ 70. Até 3/5.