'CARETAS'
Rachel Sheherazade acusa diretor de assédio moral: 'Não sou uma máquina'
O diretor Marcelo Parada teria dito à jornalista que parasse de fazer caretas
28/04/2015 - 09h33 | - Atualizado em 28/04/2015 - 09h38 Portal RAC
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Divugação.
A jornalista Rachel Sheherazade, do SBT Brasil
A jornalista Rachel Sheherazade, do SBT Brasil
Rachel Sheherazade alegou estar sendo vítima de assédio moral pelo diretor de jornalismo do SBT, Marcelo Parada. O profissional repreendeu a jornalista por suspirar após uma reportagem exibida no “SBT Brasil” na última quinta-feira (23) e teria dito que ela está proibida de fazer “caretas”.

A âncora não gostou nada da exigência e pediu que ele envie a proibição por escrito. "Sou uma profissional, uma mulher de respeito, que exige respeito em suas conversas e não se submete a qualquer intenção de assédio moral. O [Marcelo] Parada [diretor de jornalismo do SBT] me informou que eu não poderia mais fazer 'caretas'”, disse ao “Notícias da TV”.

A apresentadora continuou: “Corrigi-o. Disse-lhe que não faço caretas no ar, mas uso minhas expressões faciais, assim como meu gestual, para interpretar a informação ou para exprimir minhas emoções. Não sou uma máquina. Sou uma pessoa sensível e transparente. Não escondo o que sou, o que penso nem o que sinto".

O SBT, por sua vez, desmentiu as acusações de Rachel. A emissora informou que não houve assédio moral e, sim, uma orientação para que a jornalista não exagere nas expressões faciais.

Veja também