PREVINA-SE

As doenças comuns durante o outono

Influenza e conjuntivite são apenas algumas das doenças comuns da estação
29/04/2015 | - Atualizado em 29/04/2015 - 14h11 Portal RAC
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Divulgação
A orientação para prevenir mal-estar e doenças é sempre estimular a ingestão de líquidos
A orientação para prevenir mal-estar e doenças é sempre estimular a ingestão de líquidos
O outono chegou e muitas pessoas já perceberam que a queda de temperatura e a baixa na umidade relativa no ar trazem alguns problemas típicos da época, influenciando, principalmente, o quadro de saúde das crianças. É nesse período que o corpo fica mais sensível e vulnerável a contaminações de vírus e problemas respiratórios, como bronquite, tosse seca e asma.

Com a nova estação, os pais devem redobrar os cuidados com a higiene e alimentação dos pequenos. No ambiente escolar, recomenda-se intensificar a lavagem das mãos, assim como higienizar brinquedos e objetos de uso comum com água e sabão. Manter uma alimentação balanceada com frutas durante as refeições também é essencial para fortalecer o organismo, evitar contaminações e ajudar a amenizar os sintomas de gripe ou resfriado.

Outra preocupação é com o vírus influenza, que causa a gripe e pode ser transmitido para outras pessoas até um dia antes de aparecerem os primeiros sintomas. A forma mais comum de contágio é a direta, entre pessoas, por meio de gotículas de saliva expelidas ao falar, tossir ou espirrar. A outra forma é a indireta, por meio das mãos que, após tocar superfícies contaminadas, como corrimões, maçanetas e torneiras, que podem abrigar o vírus por até 72 horas. A conjuntivite, bastante comum no outono, também pode ser transmitida por vírus. Nesse caso, os pais devem observar frequentemente possíveis irritações na região dos olhos e ficar atentos a sintomas como coceira e secura.

A orientação para prevenir mal-estar e doenças é sempre estimular a ingestão de líquidos. Crianças com dieta inadequada ou com baixo consumo de frutas e vegetais podem carecer de suplementos alimentares, por isso é indicado sempre consultar o médico pediatra.

Veja também