SAÚDE

Obesidade é fator de risco para câncer de tireoide

Mulheres estão mais suscetíveis à doença
18/04/2015 | - Atualizado em 18/04/2015 - 09h20 Portal RAC
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Divulgação
Além da questão estética, a obesidade é fator de risco para câncer de tireoide
Além da questão estética, a obesidade é fator de risco para câncer de tireoide
A obesidade deixou de ser uma questão estética há muitos anos. Dados recentes do Ministério da Saúde apontam que 17,9% da população brasileira está obesa e 52,5% dos brasileiros estão acima do peso – um crescimento de 23% em relação a nove anos atrás (43%). O excesso de peso tem aumentado ao longo das últimas décadas, juntamente a um crescimento paralelo da incidência do câncer da tireoide.

A ligação entre a obesidade e a doença foi abordada no II Encontro Multidisciplinar de Câncer de Tireoide, realizado dia 11 de abril, no Hospital São José, da Beneficência Portuguesa de São Paulo. Estudos observacionais têm fornecido evidências de potencial associação entre os dois. "A obesidade causa um estado pró-inflamatório e com resistência à insulina, dando origem a uma elevada circulação deste hormônio, assim, possivelmente, aumentando o risco do câncer da tireoide. Portanto, o tratamento da obesidade é importante na prevenção desse tipo de câncer", explica Letícia Rigo - médica nuclear da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Você também poderá se interessar por:
- Tipos de abdominais para queimar a gordura da barriga
- Exercícios de até 15 minutos ao dia reduzem a barriga em 3 semanas

De acordo com o INCA, o câncer da tireoide pode ser considerado o mais comum na região da cabeça e pescoço, e é três vezes mais frequente em mulheres. Letícia Rigo explica que "o público feminino é mais sensível ao excesso de produção do hormônio TSH (que controla a produção hormonal da tireoide desempenhando um papel vital no bom funcionamento do corpo humano), decorrente da deficiência crônica ou do excesso nutricional de iodo, como sal iodado, leite e ovos. Além de causas genéticas e epigenéticas ambientais, tais como a radiação".

Dados da Sociedade Brasileira de Endocrinologia indicam que aproximadamente 10% da população adulta têm nódulos tireoidianos, mas, desse número, cerca de 90% são benignos. A incidência da doença aumentou em 10% na última década, mas sua mortalidade diminuiu.

Você também poderá se interessar por:
- Conheça 5 frutas que exterminam a celulite
- Exercícios ajudam a ter seios mais firmes sem recorrer a plástica ou silicone

O câncer vem apresentando crescimento expressivo nas últimas décadas e a obesidade, se controlada, pode diminuir as possibilidades de desenvolvimento da doença. Estudos mostram também que, após o tratamento oncológico, o risco de recorrência do câncer é maior em pacientes obesos do que em pacientes dentro de seu peso ideal. "Para prevenir doenças e complicações decorrentes do excesso de peso, vale a pena investir na prática de atividade física, hábitos saudáveis de alimentação – baseados em alimentos frescos em vez de industrializados - e boas horas de sono", finaliza a especialista.

Veja também