FUNCIONÁRIOS

UFRJ adia início das aulas por atraso no pagamento

Prestadores de serviços terceirizados estão paralisados porque não receberam o salário de janeiro
26/02/2015 | - Atualizado em 26/02/2015 - 20h44 Agência Brasil
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Divulgação
Aulas na Universidade Federal do Rio de Janeiro só voltam em 9 de março
Aulas na Universidade Federal do Rio de Janeiro só voltam em 9 de março
A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) decidiu adiar para 9 de março o início das aulas para os cursos de ensino superior, devido à paralisação dos prestadores de serviços terceirizados, por falta de pagamento. 

De acordo com a UFRJ, a medida foi tomada para garantir a normalização dos serviços de limpeza na universidade e não oferecerá prejuízos ao calendário acadêmico deste ano. Os funcionários terceirizados estão sem receber o salário do mês de janeiro. Segundo a assessoria da UFRJ, os pagamentos referentes a outubro e novembro foram feitos em janeiro e o de dezembro, neste mês.

Em nota, o reitor Carlos Levi disse que a UFRJ enfrenta dificuldades para honrar seus compromissos financeiros. "Em virtude de o Orçamento da União para 2015 não ter sido aprovado, a universidade tem recebido recursos do governo federal em parcelas mensais, correspondentes a apenas 1/18 do Orçamento proposto para este ano. No ano passado, deixaram de ser repassados à UFRJ quase R$ 60 milhões, cerca de 20% de nosso orçamento. Assim, a reitoria tem mantido contato permanente com o Ministério da Educação [MEC] para garantir a liberação de recursos necessários a nossa universidade”, disse.

De acordo com o reitor, os serviços terceirizados correspondem à metade do orçamento anual de custeio da UFRJ. “Qualquer alteração nos repasses para as empresas tem impacto imediato e direto sobre a rotina da universidade. Nos últimos dias, parte dos serviços de limpeza foi interrompida e, mesmo após a liberação de recursos pelo MEC, os trabalhos estão sendo retomados gradativamente.”

Os funcionários terceirizados da UFRJ não são os únicos a sofrer com atrasos no pagamento. Em dezembro, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) teve que antecipar o recesso das aulas, após os funcionários da limpeza, que, sem receber por dois meses, protestaram espalhando lixo em todo o campus, no bairro do Maracanã, zona norte do Rio.
 
Veja também