PESQUISA

Estudo indica que falar mais de um idioma reduz o envelhecimento

Independentemente de quando você aprendeu esta nova língua, as alterações nas habilidades cognitivas são perceptíveis
18/02/2015 | - Atualizado em 18/02/2015 - 08h07 Universia Brasil
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Divugação
Os dados obtidos indicaram que aqueles que aprenderam uma segunda língua tiveram resultados superiores com relação às habilidades cognitivas
Os dados obtidos indicaram que aqueles que aprenderam uma segunda língua tiveram resultados superiores com relação às habilidades cognitivas


A Universidade de Edimburgo, em 2014, realizou um estudo em que se comprovou a relação entre a cognição e o conhecimento de outras línguas além da materna. Intitulado “Does bilinguism influence cognitive aging?”, este trabalho revelou que quem fala dois ou mais idiomas, ainda que tenha aprendido-os já adulto, tem o envelhecimento cognitivo adiado.

Os pesquisadores fizeram duas entrevistas com 835 falantes nativos da região próxima da capital da Escócia: em 1947, quando todos ainda eram crianças de 11 anos, eles fizeram a primeira avaliação, e apenas no século XXI, entre os anos de 2008 e 2010, houve uma última conversa.

Os dados obtidos indicaram que aqueles que aprenderam uma segunda língua tiveram resultados superiores com relação às habilidades cognitivas, sobretudo nos testes sobre leitura e inteligência de maneira geral. Outras diferenças foram percebidas, como a maior capacidade de foco que os falantes de mais línguas desenvolveram ao longo dos anos.

Portanto, nunca é tarde para começar a ampliar seu vocabulário. Comece a estudar um novo idioma este ano e colha os frutos no futuro.
 
Veja também