CUIDADOS COM AS MÃOS

Alergia a esmalte: Saiba como se libertar deste mal

Ela chega sem avisar e você não vê a hora de se livrar dela
22/01/2015 | - Atualizado em 25/01/2015 - 09h24 Mariane Montedori
mariane.montedori@rac.com.br
Foto: Divugação
Os esmaltes hipoalergênicos são aqueles que não possuem as substâncias DBP, tolueno e formaldeído, chamados de '3 free'
Os esmaltes hipoalergênicos são aqueles que não possuem as substâncias DBP, tolueno e formaldeído, chamados de '3 free'
 


Alergia! Só de ouvir essa palavra, já me causa arrepios. Quem tem tendência alérgica sabe o quão difícil é aquela crise que não sabe de onde surgiu, o que causou e o pior: como mandar embora! E quando a alergia vem do esmalte? O olho coça e fica tão vermelho e tão inchado... que já teve casos de confusão com conjuntivite. Se você também sofre desse mal, vem comigo:
 
Primeiramente, é bom saber que DBP, tolueno e formaldeído são as substâncias responsáveis pela sua coceira sem fim e esse vermelhão no seu olho. Por isso, hoje existe a expressão '3 free'. Mas são justamente essas substâncias que ajudam o esmalte a manter seu brilho, consistência e fixação. Significa que esmalte hipoalergênico não tem uma bora duração? Sim! Mas nada que exija uma medida drástica, como fazer a unha duas vezes por semana. 

Outro sintoma da alergia a esmalte, são as cutículas. Não necessariamente elas coçam, mas ficam tão vermelhas que chegam a ficar em carne viva. 
 
A boa notícia, é que hoje podemos encontrar diversas opções de esmaltes hipoalergênicos. Mas lamentavelmente, eles são bem mais caros do que os esmaltes tradicionais: algumas marcas antialérgicas apresentam preços até sete vezes mais elevados do que as versões convencionais. E detalhe: não possui uma grande versatilidade de cores. 

Você também poderá se interessar por:
- 10 passos para evitar o inchaço e emagrecer até 6 kg

Conversando com uma vendedora, em uma loja de cosméticos, fui informada que todos os esmaltes da Revlon eram antialérgicos. Mas faço uma ressalva: Com as cores mais claras, como nude, funcionou =D Mas quando optei por um tom de vermelho, a coceira voltou. Isso porque no fundo, não existe esse papo de antialérgico. O que existe é a inexistências dos 3 componentes citados. O que não indica necessariamente, que você não vai ter alergia. Embora as chances sejam menores. 

Uma outra opção (e mais em conta) é a coleção de esmalte hipoalergênica da Risqué. São bem mais baratos e fáceis de encontrar. O ponto negativo, no entanto, é a durabilidade. Passei na sexta, e já no domingo a cor estava saindo.

Esmaltes importados

Pra quem procura versatilidade de cores sem se importar tanto com o preço, as linhas importadas tem uma cartela bem maior de opções. 

Foto: Divugação.
Fique de olho: a Chanel, apesar de ser vanguarda nas cores, ainda não aderiu à fórmula 3-free - antialérgica
Fique de olho: a Chanel, apesar de ser vanguarda nas cores, ainda não aderiu à fórmula 3-free - antialérgica
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Nos EUA, Canadá e alguns países da Europa, o formaldeído é proibido, por isso marcas nacionais de peso lá fora vendem esmaltes hipoalergênicos, como a Orly (que tem loja virtual brasileira!), Revlon, Art Deco, Bourjois, Mavala, MAC e O.P.I. – todas menos a marca O.P.I. são encontradas no Brasil. Em São Paulo, as drogarias Onofre, por exemplo, vendem esmaltes Revlon, Mavala, Art Deco e Bourjois, com preços que variam de 20 a 60 reais.

No mais, se a alergia persistir, é extremamente recomendável que você procure um alergologista ou uma dermatologista. Pode ser que sua alergia seja em algum outro componente. 

Vocês conhecem outras marcas hipoalergênicas além das citadas? Se puderem, deixem suas dicas. É sempre bom essa troca de informações. 

Veja também