POLÊMICA

Israel interrompe fluoretação de água potável

Prática tem sido considerada controversa porque altas doses podem ser nocivas à saúde bucal
01/12/2014 | - Atualizado em 01/12/2014 - 20h54 Divulgação
faleconoscorac@rac.com.br
O Ministro da Saúde de Israel, Yael German, iniciou o descontinuamento da fluoretação da água potável. Apesar das críticas de outros políticos e de vários grupos ligados à saúde, Germam decidiu seguir o exemplo de muitos outros países e encerrar esta prática.

A fluoretação de água potável tem sido controversa por algum tempo. Em doses precisas pode beneficiar a saúde bucal. No entanto, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), os efeitos de uma dose alta de fluoreto podem ir de leve fluorose dentária a uma paralisante fluorose óssea. Fluorose dentária clínica se caracteriza por manchas e desgaste dos dentes. Em casos mais severos todo o esmalte pode ser danificado. Em fluorose óssea o fluoreto se acumula nos ossos por muitos anos, levando a rigidez e dores nas articulações. Em casos severos pode causar alterações na estrutura óssea, calcificação de ligamentos e efeitos prejudicais, afirma a OMC.

Conforme relatado no jornal online The Times of Israel, o país originalmente determinou a fluoretação da água em 1970 para centros populacionais com 5 mil ou mais residentes e executou com sucesso 70% da água tratada. Este processo foi interrompido no país em 26 de agosto de 2014.

German anunciou seus planos de interromper a fluoretação logo após sua nomeação à Ministro da Saúde em março de 2013, o que resultou em protestos de especialistas em saúde pública e oficiais do governo, incluindo o Primeiro Ministro Benjamin Netanyahu. Em resposta German determinou que a fluoretação deveria continuar em centros populacionais que optassem pelo programa, informou o jornal.

No entanto a fluoretação já não é opcional. Médicos ressaltam que a fluoretação pode ser prejudicial para gestantes, pessoas com problemas de tiroide e idosos, explicou German. Além de Israel, Finlândia, Alemanha e Japão, a Holanda e Suécia estão entre os países que não adicionam flúor à água potável.
 
Veja também



VEJA TAMBÉM