SAÚDE

Diabetes não tratada pode causar problemas de infertilidade

Fertilidade pode ser prejudicada tanto em homens quanto em mulheres
07/11/2014 | - Atualizado em 07/11/2014 - 20h30 Divulgação
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Divulgação
Dificuldade para engravidar também pode ter outras origens
Dificuldade para engravidar também pode ter outras origens
Para que o sistema reprodutivo de homens e mulheres funcione bem, é necessário equilíbrio hormonal e desempenho adequado dos órgãos reprodutores. No entanto, doenças crônicas, como o diabetes, podem comprometer a fertilidade, resultando na dificuldade para engravidar. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que cerca de 240 milhões de pessoas sejam diabéticas em todo o mundo.

Segundo o ginecologista especialista em reprodução humana, Renato de Oliveira, o fato de ter diabetes nem sempre interfere na fertilidade, mas o diabético deve tomar certos cuidados. "Controlar a doença é importante para evitar complicações que poderiam, inclusive, diminuir as chances de gravidez. No caso de mulheres diabéticas que já estão grávidas, não controlar o índice glicêmico nas primeiras semanas de gestação pode gerar má formação do embrião. Além disso, estão mais sujeitas a partos prematuros", alerta.

No caso das mulheres, o diabetes pode comprometer a fertilidade na medida em que aumenta a intolerância à insulina. "O diabetes tipo 2 geralmente está associado a obesidade e resistência à insulina. Essas duas condições podem causar deficiência hormonal, assim como o ciclo menstrual irregular e infertilidade", explica. Já o diabetes tipo 1, ocorre quando as células no pâncreas, que produzem insulina, são destruídas por anticorpos. "Esse processo também pode afetar outros órgãos endócrinos, incluindo os ovários, e impossibilitar a gravidez", complementa o especialista.
 
Homens

Mas, engana-se quem pensa que apenas mulheres diabéticas têm problemas em relação à fertilidade. Os homens também são afetados pela doença. "Devido a alta taxa de glicose, a produção de radicais livres aumenta, o que pode resultar em problemas no material genético. No caso de diabetes tipo 2, os pacientes podem desenvolver ejaculação retrógrada, que ocorre quando o sêmen, que normalmente sai através da uretra, flui em direção à bexiga urinária. Dessa forma, não há espermatozoides para fecundar o óvulo", diz Oliveira.

Para evitar que a fertilidade seja afetada pela doença, é necessário acompanhamento médico e controle dos índices glicêmicos. "Geralmente, com a doença controlada, os diabéticos têm as mesmas chances de engravidar que uma pessoa que não tenha a doença. Vale lembrar que nem sempre é o diabetes a causa de infertilidade. Por isso, é necessário consultar um especialista", finaliza.
 
Veja também