PREVENÇÃO

Especialistas reforçam dicas contra Câncer de Mama

Outubro Rosa chega ao fim, mas ginecologista alerta para o perigo da doença e revela como detectar o problema de forma correta
13/03/2013 | - Atualizado em 30/10/2014 - 21h01 Divulgação
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Ministério da Saúde
Mamografia auxilia no diagnóstico precoce de câncer de mama
Mamografia auxilia no diagnóstico precoce de câncer de mama
Conhecido por ser uma doença silenciosa, o câncer de mama pode ser detectado de maneira precoce e tem cura. Para diagnosticá-lo na fase inicial, período em que os especialistas garantem maior sucesso no tratamento, é importante o autoexame das mamas, o ultrassom e a mamografia. Isso porque o “exame de toque” não deve ser usado de forma isolada. O alerta é do ginecologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, em São Paulo, Fernando Moreira de Andrade.

Assim como ele, especialistas de saúde indicam complementá-lo com exame médico e outros subsidiários. “Usualmente, a mulher jovem faz ultrassom até 30 anos, enquanto a mamografia é indicada após os 35 anos, associada ao ultrassom. Entre essas idades, dependendo do caso, ambos devem ser feitos”

A ressonância nuclear magnética (RNM) é realizada em casos mais específicos como, por exemplo, uso de próteses mamárias e antecedentes de câncer na família. “O custo do rastreamento é infinitamente menor do que a cirurgia, quimioterapia além do abalo psicológico familiar e individual”, analisa o médico. “Quando o diagnóstico é precoce, as células cancerígenas ainda não se disseminaram. Nesta hora, um tratamento adequado e completo é capaz de destruí-las, na maioria das vezes.”

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), cerca de 57 mil casos da doença devem ser detectados no Brasil em 2015. Para o médico, há um motivo para que a doença cresça em número de novos casos.
 
“Apesar de ter melhor e maior acesso aos métodos de rastreamento, a mulher hoje trabalha sob estresse, provocando o desenvolvimento de doenças autoimunes e câncer.”
 
Veja também