SAÚDE E BEM-ESTAR

Ondas sonoras no combate a celulite

Terapia de ondas acústicas é um processo que era usado em outras áreas, e que agora pode ajudar quem sofre com a celulite
29/10/2014 | - Atualizado em 29/10/2014 - 20h59 Divulgação
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Divulgação
Ondas sonoras no combate a celulite
Ondas sonoras no combate a celulite
As áreas de urologia e ortopedia vêm usando a terapia de ondas acústicas há alguns anos para quebrar pedras no rins e para tratar o esporão, por meio de um procedimento chamado litotripsia. Mas agora, a técnica também passou a ser usada para tratar celulite.

“Há quase 20 anos não vejo um tratamento tão promissor no combate a celulite. A última vez que uma tecnologia revolucionou tanto foi a endermologia”, ressalta a dermatologista Valéria Campos. 

A especialista explica que o grau é definido de acordo com o aspecto da celulite, que se modifica ao longo do tempo e pode aparecer de diversas formas. "O acúmulo de gordura e tecido fibroso pode refletir em pequenos furinhos que vão se transformando até ficar com o famoso aspecto de casca de laranja, que seria o grau mais avançado. No caso da celulite mais avançada a técnica também pode ser usada, mas a resposta não é tão rápida”, aponta.

“O método é baseado no princípio das ondas de choque, ou seja, são ondas capazes de liberar um nível de energia muito elevado em um curto espaço de tempo”, afirma a médica. Segundo Valéria, elas agem sobre as estruturas mais rígidas da zona subcutânea de forma não invasiva, e assim conseguem destruir as fibras da celulite de grau I a III. O tratamento com ondas acústicas também facilita a drenagem linfática local pois elimina a água e as toxinas acumuladas na região. "O processo também estimula o fluxo sanguíneo na área, o que promove o surgimento de colágeno, deixando a pele mais forte e firme", esclarece a dermatologista.

O procedimento não apresenta riscos graves, mas podem ocorrer alguns efeitos colaterais secundários como edemas, que são inchaços, hematomas (roxos) ou eritemas, que causam vermelhidão na pele. "Mas eles desaparecem em alguns dias", tranquiliza Valéria.

Valéria explica que a eficácia do resultado depende de vários fatores, como o metabolismo da paciente e os hábitos de vida. Mas, de forma geral, quanto menor o grau de celulite melhores os resultados. "Qualquer procedimento funciona melhor quando a pessoa não espera a situação ficar muito grave para tratar", aconselha. Segundo a médica, são necessárias oito sessões para apresentar resultados satisfatórios, e os primeiros sinais de melhora já podem ser percebidos a partir da segunda sessão.
 
Veja também