Publicidade
O papo que rola

Cigarro também provoca doenças psiquiátricas

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte em todo o mundo. Estima-se que 1 bilhão...
01/09/2014 - 12h08 - Atualizado em 01/09/2014 - 12h08 |

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte em todo o mundo. Estima-se que 1 bilhão da população adulta sejam fumantes, sendo que 200 milhões são mulheres.

Os prejuízos para a saúde são inúmeros. Quem fuma tem predisposição a ter em algum momento da vida diversas doenças, como câncer (gengiva, traquéia, língua, pulmão, útero, próstata e pele), respiratórias (pulmão, bronquite crônica e enfisemas) e cardiovasculares (derrame cerebral, infarto agudo e tromboses venosas)

A fumaça do cigarro ainda contém toxinas que produzem irritação nos olhos, nariz e garganta ocasionando alergia respiratória em fumantes e não-fumantes.

O cigarro também pode prejudicar a estética causando um envelhecimento precoce da pele, aumento da celulite e mudança da voz.

O lado B

A maioria dos fumantes tem consciência dos malefícios do cigarro. Entretanto, o que muitos não sabem é que o tabagismo pode está associado a doenças psiquiátricas.

“Existem estudos que relatam que a nicotina presente no cigarro tem o poder de alterar o funcionamento cerebral, especialmente dos jovens e contribuir para o aparecimento de transtornos psiquiátricos na vida adulta - como a depressão e a ansiedade”, afirma a Terapeuta e Coach Erica Aidar.

Segundo a terapeuta, quanto mais cedo a pessoa começar a fumar ela tem chances de se tornar uma pessoa depressiva e ansiosa no futuro. “Na adolescência, a nicotina passa ser um estimulante para o sistema nervoso central e como na adolescência os neurônios ainda estão se formando a exposição a esse tipo de substância pode deixar consequências graves”, explica.

Muitos pacientes com transtornos psiquiátricos buscam no álcool e no cigarro uma forma de aliviar os sentimentos. Nesses casos, o tratamento com um terapeuta é indispensável para a recuperação total do paciente.

“O tratamento ao tabagista é muito mais do que uma conversa ou um acompanhamento médico. Não basta informar o paciente sobre os malefícios desse vício é preciso trabalhar a dependência e desvendar os distúrbios psiquiátricos que estão escondidos”, esclarece a terapeuta.

É papel do terapeuta tratar os sintomas de ansiedade, depressão,abstinência, entre outros distúrbios que o paciente com alto nível de dependência esteja sofrendo. “É fundamental investigar todas as causas que levaram o indivíduo a dependência do tabagismo e tratar cada uma delas. Dessa forma, o paciente tem mais chances de conseguir dar a volta por cima e superar o vício”, conclui a terapeuta.




Sobre a especialista


Terapeuta e Coach Erica Aidar


-18 anos experiência no atendimento de altos executivos, profissionais liberais, empresários, atletas e profissinais das artes cênicas da música.


-Vivência como consultora no serviço público e privado, com ações de empowering, motivação e treinamento.


-Membro Fundador do Centro de Referência de Álcool e Drogas de Barueri.


-Mental Coach, responsável pelo preparo mental de atletas de alto rendimento e orientação de pais no Instituto Tênis.


Site -www.ericaaidarcoach.com



TAGS | Blog, RAC