EXISTE SOLUÇÃO

Calvície: um problema cada vez mais frequente em mulheres e homens

'Doença' pode começar já a partir dos 18 anos de idade
28/07/2014 | - Atualizado em 11/08/2014 - 18h54 Divulgação
faleconoscorac@rac.com.br
Foto: Divulgação
Pesquisas mostram que a calvíce atinge em média 70% dos homens e 15% das mulheres
Pesquisas mostram que a calvíce atinge em média 70% dos homens e 15% das mulheres
Muitas pessoas sofrem de um mesmo problema que tem incomodado bastante: a calvície, rarefação capilar causada pela queda acentuada de cabelo sem reposição dos mesmos. A alopécia androgenética - nome científico da 'doença' - pode começar a partir dos 18 anos de idade e não faz distinção de sexo. Estatísticas já mostram que 50% das mulheres de qualquer idade podem apresentar qualquer nível de calvície. 
 
“Ela é causada por fatores hereditários, genéticos, advindos do lado materno, paterno ou de ambos. Esta 'tendência genética' pode pular uma geração inteira ou afetar um irmão e outro não”, explica Arnaldo Korn, diretor do Centro Nacional – Cirurgia Plástica.
 
 
Sabe-se que pelo menos 70% dos homens e 15% das mulheres irão apresentar algum grau de calvície durante a vida. Em busca de uma solução, muitos procuram por tratamentos com médicos especialistas, vitaminas, ou produtos específicos que ajudam a fortificar os fios para evitar a queda de cabelo. No entanto, para aqueles que não encontram outra solução, existe a cirurgia do Transplantes Capilar denominada Microenxerto Fio a Fio. Dependendo do grau do caso, ele é a única opção.

“Muitas mulheres não a procuram por pura falta de informação ou por acharem que é indicada somente para homens. Quando bem indicada os resultados são excelentes e devolvem a autoestima e o prazer de viver em sociedade.”, afirma Korn.
 
A maioria dos casos que ocorrem com o público masculino é por causa de algum tipo de origem genética, no entanto, no público feminino é possível observar uma situação diferente. Menstruar, engravidar, tomar anticoncepcional e fazer regimes frequentes fazem enormes ajustes significativos no corpo e couro cabeludo. Até mesmo o stress do dia a dia da mulher moderna interfere na queda dos fios.
 
A vida dela precisa ser bem dosada entre a alimentação enriquecida de vitaminas, tais como complexo B, óligo-elementos com Zinco, Cobre e Ferro. Exercícios esportivos e lazer também são muito importantes. “O cabelo é basicamente queratina, que é uma proteína. Portanto dietas pobres em proteínas ou de baixo valor biológico afetam e muito a vitalidade dos cabelos, o que geralmente ocorre em regimes sem supervisão médica.”, alerta
 
Veja também